As métricas de marketing a seu favor

As métricas de marketing disponíveis atualmente fazem com que os profissionais possam medir o desempenho de campanhas com muito mais detalhes do que jamais foi possível antes. Mas, para isso, é preciso que os colaboradores entendam e saibam usar todos os dados disponíveis.

Normalmente, a remuneração de uma agência é feita de acordo com o que ela entrega. Ou seja, algumas métricas podem ser usadas para medir o sucesso da campanha. Entenda, a seguir, algumas delas:

Custo permissível por pedido (ACPO): saber quanto pode ser gasto em marketing para atrair, vender e manter os clientes e medir o gasto real em relação a isso;

Breakevens de marketing: saber quantos pedidos é necessário receber de acordo com cada meio para atingir o breakeven em relação ao ACPO e determinar se a meta foi atingida.


shutterstock_540603541

Etapas do funil: conhecer a porcentagem de resposta e o custo por cliente em cada etapa do processo do funil – desde o contato inicial até a conversão em venda – e medir o real em relação a isto.

Lifetime Value, Churn (ou atrito) e CRM: conhecer o lifetime value do cliente, os níveis e custos de churn e investimentos em CRM permitidos, segmentados e apropriados, além de medir o desempenho real.

Taxas de abertura, Taxas de clique, Taxas de abandono: no caso de marketing digital, é necessário saber todas as taxas de interação na web e analisá-los juntos e separados.

Retorno sobre o Investimento em Marketing (ROMI): conhecer o retorno em receita e a margem saber a despesa promocional e a métrica final.

Ainda que as métricas não possam ser aplicadas a todas as iniciativas de marketing, é importante conhecê-las e entender quais são as que devem ser usadas de acordo com cada ação de marketing, para que os resultados possam ser vistos e medidos. O próximo passo é aprender com os erros e acertos para a próxima campanha. Boa sorte!

Fonte: Exame

Foto: Shutterstock

#clarosapoio #marketing #metricas

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Após mais de um ano da pandemia do novo coronavírus, a maior parte das empresas já aprendeu como lidar com o trabalho remoto e o “novo normal”. De acordo com uma pesquisa feita pela Workana, 39,4% das